quinta-feira, 13 de junho de 2013

Avaliação orofacial de mulheres com artrite reumatoide

Resumo:
Introdução: A artrite reumatoide (AR) é uma enfermidade autoimune articular agressiva, podendo causar deformidades articulares e consequente incapacidade física. A articulação temporomandibular (ATM) pode ser afetada por essa enfermidade. São poucos os estudos controlados que avaliaram a força de mordida (FM) e alterações orofaciais nessa enfermidade. Objetivos: Caracterizar as alterações orofaciais de pacientes com AR. Métodos: Foi realizado um estudo transversal com 150 mulheres, onde 75 eram pacientes com AR (Grupo AR) e as outras 75, mulheres saudáveis (Grupo Controle). Foram avaliadas em relação à dor, sons, dor à palpação dos músculos masseter e temporal e no polo lateral da ATM; queixas de alterações na oclusão; amplitude do movimento de abertura e fechamento bucal; queixa de cansaço durante a mastigação; relato de bruxismo do sono; hábitos parafuncionais; presença de rigidez matinal na ATM; e mensuração da FM de três regiões: incisivos e molares; foi aplicado o questionário OHIP-14. Resultados: A idade  do grupo controle foi de 47,4 anos e do grupo AR foi de 49,2 anos, tempo de doença de 12,66 anos . Houve diferença estatística entre os grupos na avaliação orofacial, com piores valores para o grupo AR nas seguintes variáveis: cansaço durante a mastigação; alteração da oclusão; presença de rigidez matinal na ATM; dor a palpação nos músculos: temporal direito e esquerdo; masseter direito e esquerdo; polo lateral da ATM direito e esquerdo, presença de sons e do questionário OHIP-14. Os valores de FM no grupo controle e no grupo AR nas três regiões foram: incisivos , 126,5N e 92,80N; molares direitos 252,70N e 154,70N; molares esquerdos 249,20N e 170,30N. Conclusões: mulheres com AR apresentam mais sinais e sintomas na região orofacial ,menor FM e pior qualidade de vida relacionada à saúde bucal.
Download do poster em formato PDF: poster sbdof 2013 #15
Apresentador: Carmen paz santibañez Hoyuela, carmenhoyuela@uol.com.br
Autores:
Carmen paz santibañez Hoyuela,  C.Dentista,especialista em disfunção temporomandibular e dor orofacial, mestranda da disciplina de reumatologia da EPM/UNIFESP
Rita Nely Vilar Furtado, Médica reumatologista,doutora , Profª da disciplina de reumatologia da EPM/UNIFESP
Aline Chiari, Fisioterapeuta, especialista em reabilitação em reumatologia e mestre em ciências básicas da saúde aplicadas à reumatologia
Jamil Natour, Médico reumatologista, Livre-docente e chefe do departamento de reumatologia da EPM/UNIFESP
Fonte:  I Congresso Brasileiro de Dor Orofacial